sábado, 20 de maio de 2017

E agora, Tomé ?




Seu teimoso!!! Andaste, andaste e tiveste que nos pregar esta partida! Mas não são horas de "sermões" (de que nunca gostaste) nem de te vir dizer coisas que devias ter feito por ti e não fizeste. A tua preocupação era sempre com os outros. Querias que à tua volta houvesse só pessoas felizes. Mesmo que tu estivesses de rastos. Esqueceste-te simplesmente de ti. Achavas que o que era preciso era que S. João das Lampas mostrasse que tinha gente capaz, mesmo que sozinho tivesses de te desdobrar em dez. O vazio que deixas, por mais que digam que ninguém é insubstituível, não irá facilmente ser ocupado por quem se disponha a entregar-se como tu às boas causas. Nada quiseste em troca do muito que deste. Tive a sorte de te ter como amigo desde os tenros anos de infância (em que partilhámos aventuras hilariantes que ainda há pouco recordámos), enquanto guardávamos as nossas ovelhas (e, às vezes, as perdíamos por causa da brincadeira) até ontem à noite, em que, mais uma vez, te fizeste forte na tua teimosia e não ligaste aos sintomas que tinhas. E agora? Como é que ficamos todos? Com a tua partida, Amigo, pões-nos à prova e, por muito que nos esforcemos, temo não encontrar ninguém que se desdobre em dez! E, mais do que isso, tens ideia do que é perder um Amigo tão especial como tu ? "Lixaste-me" bem, Tomé.

4 comentários:

André disse...

Grande Abraço Fernando
AB

Fernando Andrade. disse...

Outro, André. Obrigado.

Ricardo Baptista disse...

“e aqueles que por obras valerosas, se vão da lei da Morte libertando”
Forte abraço.

Fernando Andrade. disse...

Muito obrigado Ricardo. Grande abraço.